in

Casal gay em crise é tema de filme do Cine Birita

Quais as diferentes faces da convivência a dois? Em sua primeira edição de 2019, o Cine Birita vai tomar conta do Bar da Avareza, na Rua Augusta, no dia 20 de janeiro (domingo), trazendo quatro curtas que abordam a questão dos relacionamentos. Dentre eles está o curta Fundo do Poço, dirigido por Felipe Falanga. O filme retrata uma crise de relacionamento entre dois homens, que pode ter consequências extremas.

“No atual contexto, é de extrema importância dar visibilidade a histórias de casais LGBT em geral; mostrar que nosso amor existe, mas também há desilusão, afastamento, brigas, como em qualquer outro casal”, afirma o roteirista do curta, Danilo Motta, fundador do Cine Birita. “A programação também traz a questão dos relacionamentos afetivos vista sob outros prismas, como a velhice, a saúde mental e o mundo dos aplicativos de paquera”, completa.

Confira os demais filmes da programação:

2017 (dir. Pryka Almeida):

Baseado na cidade de São Paulo, o curta retrata o universo de Katharina, que terminou um namoro de longa data e completou os 30 anos.

Assim seja (dir. Hana Oliveira):

Duda viveu um período de sua vida presa no passado. Ao se libertar, tudo se transforma.

Um cílio em sua bochecha (dir. Bruno Maciel):

Théo, um rapaz que sofre de Transtorno Obsessivo Compulsivo, vive seus dias exatamente da mesma forma, até conhecer Liz, uma garota que muda completamente seu mundo.

Localização

O Bar da Avareza fica na Rua Augusta, 591. O bar abre às 18h, e os filmes começarão a ser exibidos às 20h. Não é permitida a entrada de menores de 18 anos. Entrada gratuita.

A mostra

Cine Birita surgiu em 2018 como mais uma alternativa para exibição de curtas-metragens. As sessões acontecem periodicamente em diferentes bares. Desde o lançamento, em setembro passado, foram cinco edições em São Paulo e uma no Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Estudo revela que pessoas atraentes são mais abertas a praticarem sexo gay

Legislador japonês diz que a nação “entraria em colapso” se todos fossem LGBT