in ,

Confira tudo que aconteceu na 18ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo; veja fotos

Aconteceu no último domingo (4) a 18ª edição da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. Antes do início da manifestação na Av. Paulista, houve uma coletiva de imprensa, em que estavam presentes, o governador Geraldo Alckimin, o prefeito Fenando Haddad, a minístra de Direitos Humanos Ideli Salvatti, o presidente da APOLGBT SP Fernando Quaresma, entre outros.
 
Coletiva de Imprensa

 
A coletiva começou por volta das 10h. Fernando Quaresma foi o primeiro a ter a palavra. Ele focou o discurso em questionamentos sobre a criminalização da HomoLesboTransobia. "A comunidade LGBT precisa de uma lei que puna a HomoLesboTransfobia", defendeu.
 
Sobre a Parada, ele revelou que não entende ou concorda com os que dizem que ela perdeu o sentido. "É muito fácil criticar a Parada e nada fazer para ajudar a associação ou os LGBTs durante o ano", argumentou ele.
 
O conselheiro da APOLGBT SP também teve a palavra. Emocionado, ele disse que a preocupação das pessoas deveria ser sobre uma lei espeficífica que puna a homolesbotransfobia e não ao valor gasto para fazer a Parada. "É inadmissível que o PLC 122 tenha sido arquivada. Precisamos de uma secretaria para LGBTs", bradou ele.
 
A ministra Ideli Salvatti foi enfática. "Infelizmente, no Brasil, o poder é homem, branco, rico e heterossexual. Precisamos transformar o público da Parada LGBT em votos para os nossos representantes", disse ela, que defendeu a existência de Parada.
 
Já os discursos do governador Geraldo Alckmin e Fernando Haddad seguiram a mesma linha de raciocínio. Eles poderaram sobre a identidade e a diversidade de São Paulo e de como a Parada contribui para isso. "Somos o que somos porque somos diferentes. Não podemos admitir crimes de intolerância", defendeu Haddad.
 
"São Paulo é a terra da diversidade e a Parada mostra nossa identidade moral", finalizou Geraldo Alckmin.
 
Parada do Orgulho LGBT.

 
A av. Paulista já estava tomada de manifestantes quando alguns membros do governo voltaram a discursar no primeiro trio da Parada. Eles voltaram a falar sobre respeito, diversidade e a criminalização da HomoLesboTrasfobia.
 
Dados da Polícia Militar falam de cerca de 100 mil pessoas no evento, embora os organizadores digam que o número gira em torno de 3 milhões. Era possível encontrar muitos LGBTs, mas também famílias heterossexuais, crianças e animais com as cores do arco-íris. 
 
Os carros, como tradicionalmente, começaram a cruzar a av. Paulista por volta das 13h. Quando o relógio marcava 17h30 os últimos carros já finalizavam o percurso na Rua da Consolação.
 
Show de encerramento
 
O show de encerramento, comandado por Wanessa foi marcado por certo tumulto entre organizadores e a imprensa. Seguranças não permitiram que muitos credenciados acompanhassem o show na frente do palco e, de acordo com Alessandro Melchior, coordenador de políticas LGBT da Secretaria de Direitos Humanos, membros da organização e da prefeitura também não puderam ver ao show.
 
"Muita gente tentou entrar sem pulseira e nossos seguranças estavam barrando. Mas nossos seguranças acabaram sendo constrangidos a liberar muita gente, o que gerou vários problemas na área do palco. A Prefeitura paga dois terços desse evento e nem subiu no palco", comentou.
 
Wanessa fez o último show antes de entrar em licença maternidade para se preparar para dar a luz ao segundo filho. Veja algumas fotos da 18ª edição da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo:
 

9 Comments

Leave a Reply
  1. Deve ter ido muito mais de100 mil,com certeza.Ha uma certa má vontade com a Parada,como venho notando desde ontem no modo como certas noticias são destacadas na imprensa.Bem ou mal ,a Parada é o que temos de nosso por enquanto.

  2. Essa parada é um circo de horrores! so tem dragao nela, meu deus! gay muito feio que chega a agredir a psique de quem ve! ela retrata fielmente a mentalidade de quem vai e sobretudo de quem organiza um evento como esse dessa forma:INSANOS, DEMENTES, sem o minimo de discernimento do que e sadio e ridiculo…

  3. Gente até o número de manifestantes da parada esta sendo comprado. Na minha opinião isso é coisa de gente grande para enfraquecer a nossa luta. Eu fui e vi que tinha muito mais de 100 mil.

  4. esses lindos que estão reclamando que só tinha dragão na parada deviam ter ido para abrilhantar a avenida com suas belesas, já que são tão maravilhosos de se ver, vão tomar no meio dos seus cus seus ridiculos

  5. Uma lástima são esses gays reaças que frequentam o site,faltam dizer que a Parada é coisa de petralha.Acorda,povo!Quer ver gay bonito vai na The Week!

  6. A julgar por alguns comentários imaturos e recalcados postados aqui de pessoas que ainda acreditam que ter um rostinho bonitinho basta para ser feliz na vida, os militantes comprometidos com as políticas de combate ao preconceito contra LGBTs vão precisar fazer um trabalho sério de conscientização dentro da própria comunidade gay antes partir para voos mais altos… Lamentável!

  7. engraçado muita gente falar que foi gente feio na parada e tal…faz melhor então.nao gosta nao vai,quem curte vai e divirta_se.tudo questão de gosto e opiniao;quem tem boca falar o que quer e houve o que nao quer.fala quer ver gay bonito vai pra the wekk”realmente sao bonitos,pena que são fortinho e drogadinhos”entao adianta ficar com um gay bonito dependente de droga para se divertir?mas quem sou eu haha cada um se diverte com o que acha melhor;como digo gosto e opiniao.#sou mas eu …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Pegar ou Largar – Turnê do Disponivel.com chega na cidade de Crato

Bafo! Britney Spears é acusada de quebrar nariz de dançarina