in ,

Negra, lésbica e periférica, policial morta em São Paulo era conhecida como ‘garota sorriso’

Negra, lésbica e vinda da periferia, a policial militar Juliane dos Santos Duarte, de 27 anos, era apelidada e conhecida entre os amigos como a “garota sorriso”, pois estampava sempre o sorriso no rosto. A agente foi enterrada nesta terça-feira, 7, no cemitério municipal da Vila Euclides, em São Bernardo do Campo, região metropolitana de São Paulo. O corpo de Juliane foi encontrado na noite da última segunda-feira, 6, dentro do porta-malas de um carro, na zona sul da capital paulista. Ela tinha duas marcas de tiro no corpo. A PM estava desaparecida desde o dia 2 de agosto. Na ocasião de seu sumiço, Juliane curtia em um bar em Paraisópolis com amigos quando foi ao banheiro e, ao voltar, ouviu alguém reclamar da perda de um aparelho telefônico. Nesse momento, ela sacou a arma que carregava e se anunciou como policial. Pouco tempo depois, quatro homens, sendo três encapuzados, adentraram o estabelecimento e perguntaram quem era o policial. Apontaram para ela, que foi alvejada por alguns disparos. Em seguida, os homens carregaram seu corpo no veículo. Um homem foi preso nesta terça. Assim como amigos e familiares de Juliane Duarte, a ex-companheira da agente, Laisla Carvalho, de 24 anos, afirma que “não tinha tempo ruim” com a policial. “Ela estava sempre feliz”.

8 Comments

Leave a Reply
  1. Pra mim essa policial morta era um homem trans de verdade: tinha voz, jeito, feições masculinas e sem precisar tomar nada nem amputar ou colocar coisa alguma. Com certeza mais tarde teria assumido a identidade masculina se não tivesse morrido. Já aquela tal de Tammy antes era uma moça linda e feminina e do dia pra noite cismou que era homem mas com tudo que já fez nem de longe se parece com um.

  2. Amigas, que comentários bobos. Licença hem… Ela antes de qualquer coisa era um ser humano. ACAPA, faça uma matéria honenageando-a. Lembre-se que ela era uma agente de segurança pública, e servir na polícia não e para qualquer um. Aconselho a homenagea-la um mês após o sepultamente. Bjs à todos da LINDA EMANUÉLY – SEMPRE LINDA EMANUÉLY!

  3. No velório havia VARIAS ex namoradas e a mãe dela disse q ela passava mesmo o rodo na mulherada, queria ver se fosse um homem pm que passasse o rodo na macharada se os colegas iriam aceita-lo numa boa assim.O mundo é gayfobico, nao é homofobico, pq lesbicas todos aceitam numa boa.

  4. Infelizmente ela foi imprudente ao se anunciar policial estando numa favela. Ela não foi executa por ser negra ou homossexual e sim por ser PM.

  5. Max querida, vitimismo a essa hora? Me poupe! Tome uns banhos atrativos, solta mais sua fêmea, sai na caça amore, tá cheio de macho que quando vê uma beacha já fica com o pau pingando. Seja feliz, autoconfiante, e saia distribuindo, pois a vida passa. Bjs da LINDA EMANUÉLY – SEMPRE LINDA EMANUÉLY!

  6. Não sou vitimista, sou realista. Quantos pm homem gay assumido q passa o rodo na machaida q vc conhece? Aposto como NENHUM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments




Gabriela Loran, atriz transexual de ‘Malhação’ posa pelada

Jovem gay expulso de casa consegue bolsa de estudos e R$ 400 mil em doações