in

Rabino de Jerusalém quer proibir bandeiras de arco-íris em Parada LGBT

O rabino-chefe de Jerusalém, Aryeh Stern, pediu que as bandeiras do arco-íris não sejam acenadas na Marcha do Orgulho Gay de Jerusalém, ou sejam penduradas ao longo da rota do desfile, em uma carta ao prefeito da cidade.

VEJA MAIS:



Stern disse que as bandeiras do arco-íris são “feias” e que a marcha do orgulho gay é uma “vergonha”, em uma carta formal enviada ao prefeito, Moshe Lion, na segunda-feira (27 de maio).

“Sei do ponto de vista da lei que o prefeito não tem capacidade de impedir o desfile e, portanto, peço que pelo menos decida que as bandeiras não sejam sacudidas, pois elas tornam a cidade feia”, disse Stern.

Stern continuou: “Eu confio em você para agir com sabedoria para remover essa desgraça de nós, especialmente agora nestes dias sagrados entre o Dia de Jerusalém e Shavuot”, dizia a carta.

A carta, que vazou para a imprensa , também pediu ao Lion para “nos poupar desse constrangimento”.

Mas, em um comunicado, o Município de Jerusalém disse que as bandeiras seriam colocadas como nos anos anteriores antes do desfile, de acordo com as decisões judiciais sobre o assunto.

A marcha do orgulho de Jerusalém deve ser realizada no dia 6 de junho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Linha tênis nike lgbt

Nike lança tênis com cores da bandeira LGBTQ+

Primeiro Mister Brasil negro

Max Souza pode ser o primeiro Mister Brasil negro da história