in

Sindicato dos Bancários critica demora do STF sobre criminalização da homofobia

Já se passaram mais de 30 dias que o Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu, por tempo indeterminado, o julgamento sobre a criminalização da LGBTfobia e da transfobia. O ministro Dias Toffoli encerrou a última sessão no dia 21 de fevereiro, e não anunciou quando o tema voltará à pauta.

VEJA MAIS:



Anderson Pirota, que é diretor do Sindicato dos Bancários de São Paulo e coordenador do coletivo LGBT, criticou o Congresso Nacional por não dar a devida atenção ao assunto e também o STF, por ter chamado a responsabilidade, porém não deu continuidade e não deu a resposta que a sociedade espera.

“Falta bem pouco para que a discriminação por orientação sexual ou identidade de gênero seja crime, e, por isso, chamamos a comunidade LGBT a continuar mobilizada e pressionando para que os casos de ódio sejam enquadrados na lei 7.716 como crime de racismo”, declarou Anderson.

Muitas entidades estão favoráveis ao assunto, mas a bancada evangélica é contra, alegando que a criminalização fere a liberdade religiosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Whindersson Nunes se veste de Drag Queen e curte bar gay com Pabllo Vittar

Casamento gay

Portugal é um dos países que mais protegem a comunidade LGBTQI+