in

Assassino de cabeleireiro gay é preso em São Paulo

plínio morto homofobia

Na última terça-feira (26) a Polícia Civil de São Paulo prendeu o assassino do cabeleireiro Plínio, que foi morto com uma facada na avenida Paulista em um ataque homofóbico. O criminoso confessou o crime, mas alegou que tenha agido em legítima defesa.

Em conversa com a Record TV, o delegado Hamilton Rocha Benfica do 78º DP, afirmou que o assassino começou a fazer ofensas homofóbicas, afirmando que “gay tem que morrer”, após ter visto a vítima e o seu namorado andando de mãos dadas pela rua. Ao chegarem na avenida Paulista, o companheiro da vítima se irritou com as ofensas e partiu para cima do assassino, que revidou com uma facada no tórax de Plínio.

Mesmo o assassino alegando que agiu em legítima defesa, o Delegado Benfica entendeu que os ataques foram feitos por motivos homofóbicos. E que as 4 testemunhas e as imagens que foram registradas mostraram que realmente esses foram os motivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Aplicativo cura gay

Apple retira aplicativo que prometia a ‘cura gay’ da App Store

Site bicha da justiça

Bicha da Justiça, startup que oferece ajuda jurídica para comunidade LGBTI+