in

Homens inseguros com “masculinidade frágil” são mais propensos a apoiar Trump, diz estudo

Um estudo recente do  Washington Post descobriu que homens com “masculinidade frágil” – insegurança em relação à sua masculinidade – são mais propensos a apoiar os republicanos e o presidente dos EUA, Donald Trump, que se gabou publicamente do tamanho do pênis e dos altos níveis de testosterona.

O Washington Post analisou a frequência nacional de buscas no Google por termos como “disfunção erétil”, “perda de cabelo”, “como conseguir garotas”, “aumento do pênis”, “tamanho do pênis”, “esteróides”, “testosterona” e Viagra ”- palavras que foram correlacionadas com a masculinidade frágil nos homens.

Os pesquisadores, então, cruzaram um mapa dessas buscas com mapas eleitorais das últimas três eleições.

“Descobrimos que o apoio a Trump nas eleições de 2016 foi maior em áreas que tiveram mais buscas por tópicos como ‘disfunção erétil'”, informa o The Washington Post . “Em contraste, a frágil masculinidade não foi associada ao apoio a Mitt Romney em 2012 ou ao apoio a John McCain em 2008 – sugerindo que a correlação de masculinidade frágil e voto nas eleições presidenciais foi distintivamente mais forte em 2016”.

Sua teoria também se aplicava ao apoio a candidatos republicanos nas eleições de 2018.

Caso queira mais informações sobre o estudo, acesse a publicação original: https://www.queerty.com/insecure-men-fragile-masculinity-likely-support-trump-study-says-20181129

One Comment

Leave a Reply
  1. Seria bom se a pesquisa tivesse englobado todos os homens do planeta,já que muitos homens famosos(ou não)são apoiadores do presidente norte-americano,inclusive,muitos homens brasileiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Mulher é confundida com homossexual e acaba agredida

Mulher com câncer é confundida com homossexual e acaba agredida

Hugh Jackman é gay

Hugh Jackman diz que beijar outro cara provocou rumores sobre homossexuais, mas ele não se arrepende de nada