in ,

Polícia de Nova York classifica suicídio de jovem gay como “crime de ódio”

A Polícia de Nova York vai indiciar três alunos devido ao suicídio de Jamey Rodemeyer, 14, que foi encontrado morto no último domingo (18). A Polícia declarou que está investigando as mensagens deixadas nos perfis de Jamey em redes sociais que o incentivavam ao suicídio por conta de sua orientação sexual.

VEJA MAIS:



A Especial Victim Units, departamento da Policia norte-americana que cuida de crimes ligados ao gênero, disse que já identificou três estudantes que deixavam constantemente recados para Rodemeyer. "Nós conversamos com alguns colegas de Jamey e eles nos revelaram que havia um grupo de alunos que perseguia ele por algum tempo. Estes estudantes serão indiciados por crime de ódio e perseguição", declarou John C. Askey, chefe Especial Victim Units.

"Agora estamos estudando o cotidiano de Jamey para descobrir todas as motivações do crime. Vamos conversar com funcionários da escola, estudantes e qualquer pessoa que tenha informações relevantes sobre o crime cometido contra este jovem", completou Askey. A Polícia ainda não revelou a maneira como Jamey se matou.

O estudante de 14 anos era perseguido em sua escola desde quando assumiu sua homossexualidade. Jamey Rodemeyer postava vídeos no YouTube onde relatava as constantes violências estudantis que sofria no colégio. "Eu sempre digo as pessoas como sou intimidado, mas ninguém me escuta. O que eu tenho que fazer para que as pessoas me escutem?", questionava em um dos vídeos.

8 Comments

Leave a Reply
  1. Se eu tivesse poderes sobre naturais, provocaria agora um tremor de terra teleguiado, que derrubaria apenas os templos de todo planeta – não sobraria um em pé, de nenhuma religião, eu destruiria todos e ainda soltaria um peido de luz rosa teleguiado, que mataria todos os líderes religiosos do mundo, igualzinho o deus hebreu o Jeová fez com os primogenitos do Egito e jogando fogo e enxofre em Sodona e Gomorra! Que limpeza, iriamos respirar no mundo. GAY EMANUÉLY – SEMPRE GAY EMANUÉLY!

  2. suicidio de um garoto de 14 em new york e suicidio de um de 10 anos no Brasil.a cultura do bullying era e continua sendo uma verdadeira praga em nossas escolas,sobretudo no que toca à homossexualidade. orientadoras pedagogicas,psicologicas,etc nada resolvem pois ficam apatetadas ao serem confrontadas com estes problemas.por outro lado as igrejas evangélicas,através de pastores despreparados teo- logicamente e desequilibrados emocionalmente criam o caldo cultu- ral de medo ao sexo na sociedade.onde vamos chegar?

  3. Bulling no Brasil deveria ser traduzido como Perseguição. Quem odeia gay não para de seguir os gays. Ou melhor, perseguir, sufocando. O pior que da escola é que os adolescentes perseguidos nao podem abandonar. Isso é terrivel. Ser obrigado a ir a um lugar onde vc sabe que vai ser torturado. Pobre menino!

  4. Como sempre, é um fato que, infelizmente, ainda acontece em uma sociedade “moderna”. Americanos, Europeus, Brasileiros, Asiáticos ou de qualquer continente no planeta, mais ainda no Oriente Médio e em Regimes Ditatoriais, jovens como este sorridente Jamey Rodemeyer, são assassinados com palavras, atitudes homofóbicas, intolerância, falta de conhecimento, enfim, toda uma sopa que resulta no pré-conceito dissimado e antiquado à natureza humana! Acredito que a instituição maio da humanidade, a família, tem de rever os conceitos sobre este tema (homossexualidade), pais e mães que deveriam amar o seu filho/filha como é, faz o papel de carrascos, incitados por um fanatismo religioso (Players For Bobye).

  5. Sofri de bullying desde a 1ª série do primeiro grau , até o 1° ano do colegial.Foram momentos terríveis, e por mais que reclamassemos com a direção ou com os adultos, nada de muito importante era feito, pois a maioria era preconceituosa, sendo assim , teria que expulsar grande parte dos alunos da escola. Creio que por conta do assunto estar na mídia e na sociedade colabore para que isso não ocorra mais, pois vivi um inferno e não encontrava solução para sair dele. Hoje estou encarando tudo com mais naturalidade, porém, não deixando as críticas me julgar ou limitar.A religiã por mais que não aceiasse a homossexualidade me ajudou de certa a forma a enfrentar o preconceito, pois meu fim poderia ser como a do menino Jamey Rodemeyer

  6. Pena que não fiz o mesmo quando era adolescente, não tive coragem. Assim não teria comido merda a vida inteira. Escola para mim era tortura. E o alistamento militar, então? E no trabalho, com os vizinhos. Como é que tem gay que gosta daqui? Viva o Brasil, a sua homofobia descarada e suas religiões assassinas. Nos EUA não é muito diferente, não! Lá tem um monte de Silas Malafaias. Na verdade vivemos em guerra e não nos defendemos, não nos unimos. Quantas pessoas saem nas passeatas que não são carnavalescas? Quantos votam em deputados que nos defendem? Quantos não ficam metendo o pau na Martha Suplicy? Só uma palavra: desesperança.

  7. Minhas lagrimas rolaram ao ver os videos de um garoto novo,que estava prestes a cometer um ato de loucura.Eu paro e as vezes penso como ele,mas penso no que ele fez e vejo que não é o melhor pra mim.Agressões a mim são em td instante,porém firme no que faço e no que sou…Força e determinação a tds que são injustiçados e descrimindaos por serem quem realmente são!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Relação aberta?

Site A Capa estreia novos colunistas; política, música e mercado são alguns dos temas